Pós-Graduação PPGEL

Projetos de Pesquisa

Projetos de pesquisa em andamento, listados por linha e em ordem alfabética.

Linha “Descrição do português, Ensino e Tecnologia”

Linha “Língua e Cognição: representação, processamento e aquisição da linguagem”

Linha “Linguagem, sentido e tradução”

Linha “Discurso, práticas cotidianas e profissionais”

 

Linha “Descrição do português, Ensino e Tecnologia”

Construções lexicais do português: polissemia (2015- em andamento)

Na esteira de resultados preliminares de projetos anteriores, e adotando pressupostos teóricos da Gramática Cognitiva, o projeto tem por objetivo investigar o aspecto polissêmico das construções lexicais de diferentes tipos no Português do Brasil, abrangendo a polissemia prefixal, a polissemia nos compostos, expressões, locuções, e outros tipos de construções lexicais.

Responsável: profa. Margarida Basílio

 

Esqueleto investigação sobre o léxico do corpo para a inclusão de informação semântica em corpora da língua portuguesa (2013-2016)

O projeto Esqueleto tem como objetivo a investigação do léxico do corpo, tendo em vista a inclusão de informação semântica nos corpora do projeto AC/DC (Costa et al., 2009; Santos, 2011). Subordina-se ao objetivo mais amplo de melhoria de recursos linguísticos para o processamento computacional da língua portuguesa. Busca, especificamente, responder às seguintes perguntas: Como nos referimos ao corpo /partes do corpo em português? Que outros tipos de sentido atribuímos às palavras que compõem o léxico do corpo?

Responsável: profa. Maria Cláudia de Freitas

 

Questões interculturais do português do Brasil como segunda língua para estrangeiros (PL2E) (2015- em andamento)

Identificação, análise e categorização de questões relevantes para a descrição e o ensino do português como segunda língua, em especial para estrangeiros, com base nos estudos do interculturalismo. Abordagem pluralista, utilizando-se também do arcabouço teórico-metodológico do funcionalismo e do interacionismo, de forma a se estabelecerem contrastes entre os diferentes tipos de estruturas do português do Brasil que podem interferir na competência intercultural dos aprendizes, a saber: lexicais, gramaticais, interacionais e culturais. Confronto com outras línguas, como o chinês, o alemão e o hindi, entre outras, porém com ênfase no inglês norteamericano.

Responsável: profa. Rosa Marina de Brito Meyer

 

Recursos linguísticos para o PLN da língua portuguesa (2015- em andamento)

O projeto pretende investigar pontos de diálogo entre abordagens simbólicas e estatísticas tomando como ponto de partida a construção de datasets linguísticos ? recursos corpora anotados. Adicionalmente, o projeto toma por base a língua portuguesa, partindo do princípio de que abordagens podem ser independentes de língua, mas recursos linguísticos, não. Como contribuições do projeto, prevê-se a melhoria de recursos linguísticos para o PLN, tendo como objetivo final enriquecer as possibilidades de exploração das Humanidades Digitais em língua portuguesa. Quanto ao enquadramento teórico, o projeto assume uma visão de língua compatível com o ângulo sugerido por Wittgenstein (1953)

Responsável: profa. Maria Cláudia de Freitas

 

Projetos  interinstitucionais com participação de docente do PPGEL

 

Gramateca – uma gramática da língua portuguesa com base em grandes corpora (2014 – em andamento)  

A Gramateca é um projeto colaborativo, capitaneado pela Linguateca, de uma gramática baseada em corpus para a língua portuguesa – especificamente, o projeto toma por base o material do AC/DC. Uma das fontes de inspiração para este projeto foi a gramática de Biber, Johansson et al. (1999) para o inglês, mas, passados quinze anos, é possível ir além: não só porque os corpos em que a Gramateca se baseia (todo o material do AC/DC) são públicos, e porque as técnicas estatísticas modernas estão bem mais desenvolvidas, mas também porque, em vez de um simples etiquetador, temos acesso à riqueza da anotação do PALAVRAS (Bick, 2000), e a alguma anotação semântica criada pela Linguateca, nomeadamente cor, roupa, corpo humano e emoções.

Página do projeto: http://www.linguateca.pt/Gramateca/

Responsável na PUC-Rio: Cláudia Freitas/ Coordenadora: Diana Santos (Universidade de Oslo)

 

OpenWordNet-PT: uma wordnet aberta para a língua portuguesa (2014 – em andamento)

Uma wordnet é uma base de dados lexical usada por sistemas que realizam processamento automático de textos. O princípio central das wordnets, e que as diferencia de dicionários convencionais, é que a unidade básica não é a palavra, mas o sentido. Assim, diferentes palavras podem estar agrupadas em uma mesma entrada, chamada synset . A OpenWordNet-PT é o projeto de criação e melhoria de um recurso lexical aberto para o processamento automático da língua portuguesa.  O projeto é uma colaboração entre pesquisadores de diferentes instituições, como o PPGEL (professora Cláudia Freitas) e a IBM Research/Brasil.
Página do projeto: 
http://wnpt.brlcloud.com/wn 
Responsável na PUC-Rio: Cláudia Freitas/ Coordenador:
Alexandre Rademaker (EMAp/FGV; IBM)

TOPO

 

 

Linha “Língua e Cognição: representação, processamento e aquisição da linguagem”

 

Aspectos cognitivos e metacognitivos da leitura e da escrita sob o olhar da Psicolinguística (2015 – em andamento)

O presente projeto focaliza a investigação de aspectos cognitivos e metacognitivos envolvidos na compreensão e produção de textos escritos em ambiente acadêmico, pertencentes a diferentes gêneros textuais. Busca-se especificar as principais demandas linguístico-discursivas associadas ao processamento desses textos, considerando os diferentes modos semióticos por meio dos quais os mesmos se estruturam. A pesquisa dá continuidade ao projeto “A leitura e a escrita numa abordagem Psicolinguística” e faz uso de ferramentas de investigação como rastreador ocular e keyloggers (combinados a programas de gravação de tela), os quais permitem o registro on-line, respectivamente, do movimento do olhar durante a leitura e das ações no teclado durante a escritura. A relevância desse tipo de dado para o desenvolvimento de estratégias de ensino/aprendizagem é explorada numa interface Psicolinguística e Educação.

Responsável: Erica dos Santos Rodrigues

 

Condições de interface em dependências sintáticas (2012- em andamento)

Com foco na gramática do Português do Brasil, esse projeto visa verificar as condições/restrições de interface que atuam sobre dependências sintáticas. Na primeira fase do projeto, trabalhamos com questões de escopo entre expressões nominais quantificadas, movimento em LF de quantificadores e com processos de elisão. Essa primeira fase contou com financiamento da PUC-Rio/Bolsa de produtividade/2012. Na segunda fase do projeto, que terá início em 2015, buscaremos, em conjunto com a pesquisadora Letícia Sicuro/LAPAL/PUC-Rio e João Costa/Universidade Nova de Lisboa, pesquisar sobre dependências envolvendo argumentos nulos, em especial o sujeito nulo do Português Brasileiro. Parece haver no Brasil bastante variação em relação ao comportamento sintático e semântico de pronomes nulos em posição de sujeito sentencial. Em algumas regiões (e.g. Minas Gerais) esses pronomes parecem se comportar como anáforas, estabelecendo dependências sintáticas e semânticas com expressões nominais presente na sentença. Em outras regiões, no entanto, (e.g. Rio de Janeiro) os falantes parecem aceitar o pronome nulo como um pronome pleno. Nosso objetivo é primeiramente mapear essas diferenças dialetais para depois comparar o Português do Brasil com outras línguas românicas de sujeito nulo (e.g. Português Europeu, Espanol e Italiano). Nossa meta é fazer uso de uma metodologia experimental de testagem de dados para garantir que os resultados obtidos tenham pouca influência de variáveis externas, como contextos pragmáticos.

Responsável: Cilene Aparecida Nunes Rodrigues

 

Domínios indefinidos: um estudo da metáfora e metonímia em compostos e expressões lexicais (2015 – em andamento)

O projeto investiga o papel da metáfora e da metonímia, isoladamente e em interação, na constituição e identificação de compostos e expressões lexicais.

Responsável: profa. Margarida Basílio

 

Morfomas nas línguas românicas: um estudo teórico-experimental sobre a interface sintaxe-morfologia (2013- em andamento)

O presente projeto apresenta proposta de pesquisa de linguística formal, caracterizando-se como relevante para o entendimento da gramática dentro do arcabouço teórico da Gerativa. Tem contribuição principalmente no que tange a interface entre a sintaxe e a morfologia. O objetivo principal é analisar em que medida há uma autonomia da morfologia em relação à sintaxe. Buscamos verificar se a hipótese da morfologia autônoma, tal como proposta por Aronoff (1994), tem validade quanto a constituição de formas verbais subjuntivas e de formas nominais agentivas nas línguas românicas. Utilizando-se de metodologia experimental para testagem de dados, examinaremos se essa hipótese faz previsões corretas para a aquisição de itens lexicais novos. Assim, nossos resultados terão impacto tanto para a concepção formal de gramática quanto para a concepção de Gramática Universal (cf. Chomsky 1981, 1986, 1995, 2000, 2001, entre outros).

Responsável: Cilene Aparecida Nunes Rodrigues

 

Processamento e aquisição da linguagem sob ótica minimalista: extensão e comparação de modelos (2012 – em andamento)

O projeto dá continuidade ao desenvolvimento do modelo integrado de computação on-line (MINC), que busca adaptar a concepção de uma derivação minimalista à caracterização da computação sintática em tempo real, na produção e na compreensão de enunciados linguísticos, e de um modelo procedimental de aquisição da linguagem (MPAL) que incorpora a hipótese do bootstrapping fonológico e, partindo de um léxico mínimo, visa a caracterizar a progressiva especificação dos traços de categorias funcionais mediante o processamento de informação legível nas interfaces fônica e semântica. Em particular, busca-se estender o MINC, de modo a incorporar um componente intencional (de natureza pragmática) em interação com traços formais do léxico, e avalia-se a propriedade da incorporação da Teoria da Relevância (Sperber &Wilson 1986/1995; 2002) para este fim. Busca-se ainda compatibilizá-lo com efeitos relativos a processos integrativos e antecipatórios no parsing e discuti-lo em relação à proposta de um parser minimalista (Fong, 2004; 2005; 2011). Com relação ao MPAL, dá-se continuidade ao tratamento de questões pertinente a custo diferenciado no desenvolvimento linguístico e avalia-se em que medida este é compatível com propostas correntes que incorporam o conceito de gramáticas múltiplas (Roeper, 1999, 2003; Yang, 2002; Adger, 2006) e/ou de decodificação paramétrica (Fodor, 2006; Sakas, Fodor & Hoskey, 2007), como forma de responder a questões de aprendibilidade.

Responsável: Letícia Maria Sicuro Corrêa.

 

 

Processamento linguístico e incrementalidade: o que os olhos podem informar sobre o curso temporal da produção e compreensão de sentenças. (2012- 2016)

O projeto de pesquisa insere-se na área da Psicolinguística e tem como objetivo investigar o curso temporal da compreensão e da produção da linguagem, à luz de metodologia experimental que explora relações de interface entre linguagem e visão. O projeto possui duas frentes de investigação: (i) uma frente teórica, voltada à caracterização da incrementalidade no processamento linguístico, com foco em processos antecipatórios, no caso da compreensão, e com foco na seleção de estruturas linguísticas em situações que envolvem apreensão de cenas, no caso da produção; (ii) uma frente voltada para questões metodológicas relacionadas ao emprego de estímulos visuais em experimentos psicolinguísticos e testes de avaliação de habilidades linguísticas e à análise de movimentos oculares dos participantes na formulação de hipóteses acerca das representações e operações mentais mobilizadas na decodificação e formulação de enunciados linguísticos. Em termos mais específicos, o projeto buscar caracterizar que tipo de informação linguística pode deflagrar processos antecipatórios e qual a interferência do grau de planejamento da fala na codificação linguística de informação do nível conceptual. Avalia-se, ainda, o papel de contexto visual prévio na definição do custo de processamento de estruturas linguísticas complexas.

Responsável: Erica dos Santos Rodrigues

 

Processamento sintático e questões de interpretação na interface sintaxe-semântica (2014 – em andamento) (Sucupira)

O projeto dá continuidade às pesquisas conduzidas no âmbito do projeto “complexidade computacional em uma visão integrada processador/gramática”, focalizando, particularmente, estruturas implicadas em relações de quantificação e numero(sidade) (estruturas distributivas, coletivos, quantificadores, nomes nus, etc) e fatores sintático-semânticos que determinam o parsing e interpretação de tais estruturas na compreensão e sua formulação (e monitoramento) durante a produção de enunciados linguísticos. A computação da concordância e processos de retomada anafórica envolvendo tais estruturas são tomados como informativos acerca dos fatores implicados no seu processamento. Explora-se, ainda, possível assimetria entre compreensão e produção no que tange, respectivamente, à aceitabilidade/gramaticalidade e à produção de sentenças que codificam as relações de numerosidade investigadas.

Responsável: Erica dos Santos Rodrigues

 

 

Recursão/auto-encaixamento na língua Pirahã/Mura (2012 – em andamento) (Sucupira)

Este projeto visa analisar questões relacionadas a encaixamento em pirahã, língua mura falada na Amazônia brasileira. Everett (2005, 2009) argumenta que pirahã não possui encaixamento recursivo em nenhum nível sintático. No entanto, Nevins, Pesetsky e Rodrigues (2009, 2010), com base em dados coletados pelo próprio Everett, apresentam uma série de evidências a favor de recursividade em pirahã. Nosso objetivo é realizar pesquisa de campo, coletar dados novos e fazer análise sintática, morfológica e semântica minuciosa de estruturas com possíveis encaixamentos na língua para verificar a existência ou não de recursividade nesta língua.

Responsável: Cilene Aparecida Nunes Rodrigues

 

Representação e acesso a informação gramatical no DEL: sintomas compartilhados com transtornos de alta incidência em crianças em idade escolar (2015 – em andamento) (Sucupira)

Este projeto, aprovado no Edital Cientistas do Nosso Estado - FAPERJ (2014), tem como foco as manifestações caraterísticas do DEL (Défict ou Distúrbio Específico da Linguagem) concomitantes a sintomas de transtornos de alta incidência em crianças em idade escolar (TDAH, DEA e Dislexia). Uma tipologia para manifestações do DEL é proposta ? DEL representacional (DEL-R, Tipo 1 e Tipo 2, distinguindo atraso de linguagem de linguagem altamente corrompida) e DEL procedimental (DEL-P), levando-se em conta sua possível natureza (comprometimento no processo de aquisição da língua (DEL-R); comprometimento no acesso automático a informação gramaticalmente relevante na produção/compreensão da linguagem (DEL-P)) à luz de pressupostos minimalistas (Corrêa & Augusto, 2011; Corrêa, 2009; 2014). Avalia-se o caráter primário/secundário de sintomas compatíveis com essa tipologia (no quadro do TDAH e DEA), focalizando-se habilidades pertinentes ao processamento de estruturas de alto-custo (como relativas de objeto) e à interface gramática-pragmática. Investiga-se em que medida comprometimentos sugestivos de DEL-P em crianças em idade escolar podem ser influenciados por fatores pertinentes a atenção. No que diz respeito à concomitância com sintomas de dislexia, investiga-se a relação entre DEL-P e fluência na leitura oral, em função de parâmetros pertinentes à interface sintaxe-prosódia.

Responsável: Letícia Maria Sicuro Corrêa.

TOPO

 

 

Linha “Linguagem, sentido e tradução”

 

A linguagem como forma de vida e o perspectivismo (2013- 2016)

Este projeto investiga uma famosamente elusiva e difícil noção wittgensteiniana: forma de vida (Lebensform). Reconhece nela o índice possível de uma manifestação singular de perspectivismo no pensamento do filósofo. Ambiciona contribuir para a compreensão e potenciação dessa singularidade, construindo uma reflexão que exponha a noção wittgensteiniana de linguagem como forma de vida à atmosfera de outros pensamentos perspectivistas. Buscará fazê-lo não apenas no interior do campo da filosofia matriz do próprio termo perspectivismo , mas também no âmbito de importantes reverberações ou apropriações contemporâneas que têm lugar em outras áreas, notadamente na antropologia e nos estudos da linguagem e da literatura.

Responsável: Helena Franco Martins

 

A linguagem como forma de vida e o perspectivismo: tradução e devir (2016- em andamento)

Este projeto continua e desdobra a investigação em curso sobre a elusiva noção wittgensteiniana de forma de vida (Lebensform). Tendo estabelecido e explorado a pertinência de tomá-la como índice de uma manifestação singular de perspectivismo no pensamento de Wittgenstein, ambiciono agora deter-me sobre as duas seguintes questões específicas, que tomo como interligadas: (a) como pensar aí a questão do devir das formas de vida, os deslocamentos capazes de atingir a esfera (perspectiva) das convicções cegas, das certezas refratárias à intelecção (Weltbilder)? (b) como pensar, nesse âmbito, a circunstância e o papel da tradução, sobretudo em sua dimensão performativa? O foco da investigação é o jogo entre tradução e devir em circunstâncias de encontro com formas de vida ditas "selvagens". A estratégia é a mesma adotada no projeto anterior: expor o perspectivismo wittgensteiniano à atmosfera de outros pensamentos de orientação perspectivista, provenientes da filosofia, da antropologia, dos estudos da tradução -- e também da arte, levando em conta, entre outras coisas, a famosa formulação de Lévi-Strauss, segundo a qual a arte seria uma espécie de reserva ecológica do pensamento selvagem no mundo dito civilizado.

Responsável: Helena Franco Martins

 

Adaptações de peças de William Shakespeare para o público infanto-juvenil (2014 – em andamento)

A proposta deste projeto é analisar adaptações das peças de William Shakespeare para o público infantojuvenil sob forma de quadrinhos, videogames e romances em prosa. A partir de um corpus dessas adaptações, será verificado: (i) como essas adaptações são feitas, ou seja, quais são os processos multimodais adotados nessas transposições, que incluem traduções intersemióticas; (ii) em que medida as principais características das obras no que diz respeito a temas, tramas, perfil dos personagens e linguagem são preservadas; (iii) que imagem do autor e da obra é passada para os leitores-alvo das adaptações; e, por fim, (iv) qual a recepção/fortuna crítica dessas adaptações, com base em resenhas, comentários e outros metatextos. A relevância desta pesquisa está no fato de que as adaptações voltadas para crianças e jovens feitas a partir das peças de Shakespeare considerado um dos autores mais proeminentes do chamado cânone ocidental podem ter o papel de atrair novos leitores tanto para as versões integrais das obras quanto para a atividade da leitura em si.

Responsável: Márcia do Amaral Peixoto Martins

 

Psicanálise, linguagem, tradução, ensino (2014 – em andamento)

Com a psicanálise, investiga-se a emergência do Inconsciente em atos de linguagem diversos, dentre eles a leitura, a escrita e diferentes formas de reescrita, considerados, principalmente, os contextos da tradução e do ensino de língua não materna. Partindo de textos de Freud, Lacan e Derrida, constituem convicções fundamentais do estudo o assujeitamento ao desejo do inconsciente, a desconstrução da lógica dicotômica, e o simbólico como campo perpassado pelo imaginário e pelo real, este compreendido como impossibilidade de conhecimento e controle.

Responsável: Maria Paula Frota

 

Questões de poética e ideologia nos diferentes tipos de reescrita (2014  - em andamento)

A partir do pressuposto de que as reescritas criam imagens de obras e autores na cultura receptora ao manipular aspectos textuais ou culturais no processo de sua produção, estudam-se as coerções de ordem poetológica e ideológica, bem como as ações de patronagem, que se aplicaram (ou podem se aplicar) às traduções, adaptações, antologias, historiografias e outros tipos de reescrita em determinadas épocas e contextos socioculturais. A formação de tradutores sob a ótica do conceito de reescrita também é objeto de investigação.

Responsável: Márcia do Amaral Peixoto Martins

 

Teoria e prática da tradução de poesia (2016 – em andamento)

Estudo contrastivo dos sistemas de versificação do português e de outros idiomas, com ênfase no inglês, abrangendo a poesia propriamente dita e a letra de canção. Estudo crítico dos principais teóricos da área e de traduções poéticas publicadas, com base em critérios de avaliação minimamente consensuais.

Responsável: Paulo Fernando Henriques Britto

TOPO

 

 

Linha “Discurso, práticas cotidianas e profissionais”

 

(Inter)ações discursivas e construção de significados em contextos pedagógicos e profissionais (2012-2016)

A Prática discursiva pedagógica como espaço de interação e criação de significados em contextos educacionais. Inserida na área de Linguística Aplicada, a pesquisa baseia-se em duas visões de linguagem aqui tidas como complementares: a abordagem de linguagem como ferramenta mediadora, de acordo com o proposto pela Teoria Sociocultural e a abordagem semântico-funcional, proposta pela Linguística Sistêmico-Funcional. O projeto tem como objetivo a interpretação, descrição, valoração e análise dos aspectos linguísticos, socioculturais, históricos e interpessoais das interações discursivas pedagógicas (orais e escritas), visando analisar o caráter social, multifuncional e mediador da linguagem em processos de construção e negociação de conhecimentos pedagógicos.

Responsável: Adriana Nogueira Accioly Nóbrega

 

A neutralização do desvio no encontro interacional misto: narrativa, identidade e estigma em três laminações (2014 – em andamento)

O projeto busca analisar os efeitos discursivos que se produzem nos encontros mistos (Goffman, 1988), isto é, aqueles que reúnem face a face, por exemplo na entrevista de pesquisa, identidades hegemônicas e estigmatizadas. Alinhada aos estudos pós-estruturalistas sobre identidade, a proposta focaliza as tensões e os efeitos derivados do manejo interacional do desvio (Becker, 1963) ou estigma (Goffman, 1988), fazendo dialogar a sociologia do desvio com os estudos pragmático-interacionais e a análise de narrativas. Do ponto de vista metodológico, o projeto propõe que performances orientadas para o apagamento do estigma em encontros mistos podem ser produtivamente compreendidas a partir de uma abordagem interpretativista que se desdobra em três camadas ou laminações: (i) a primeira, de natureza pragmático-interacional, lança luz sobre o trabalho de face constituinte dos encontros mistos; (ii) a segunda, de natureza discursiva e diretamente vinculada aos estudos de narrativa, identifica e descreve a estrutura das narrativas orais que naturalmente emergem do encontro social, em busca dos processos e marcas de construção identitária (Bastos, 2003; 2008) e dos sistemas de crença (Linde, 1993) neutralizadores do desvio; a terceira, de natureza macrodiscursiva, procurará mapear os discursos que emergem do encontro misto na cadeia de enunciados (Bakhtin, 1979) da qual eles participam.

Responsável: Liana de Andrade Biar

 

Análise de narrativa - proposta de uma abordagem interacional do discurso em diferentes contextos da vida social contemporânea (2013-2016)

O projeto centra-se no estudo da narrativa e da identidade, voltado para questões e problemáticas diversas da vida social contemporânea, em articulação com ações sociais e projetos de pesquisa da área da saúde. Dentre tais questões, tratamos da construção da violência na fala de adolescentes moradores de territórios de risco, que participam de projetos conduzidos por profissionais de saúde. Tratamos também, no âmbito do G-NIT (GRPesq Narrativa, identidade e trabalho), de temas como gênero, sexualidade, juventude/infância, violência, conflito e exclusão, trabalho e classes populares, saúde (afasia, obesidade, gravidez, puberdade) em falas produzidas nos contextos da escola, da universidade, da delegacia de polícia, do hospital, de movimentos políticos/sociais, empresas e ONGs. A proposta de uma análise de narrativa, que entendemos como uma prática de análise do discurso à luz narrativa, aqui se faz articulando o estudo do discurso e da interação, com o uso de diversos construtos tais como posicionamento, alinhamentos/enquadres, agência, entextualização, discurso reportado, avaliação. Pretendemos contribuir tanto para aprofundar o conhecimento sobre os contextos sociais pesquisados, quanto para os estudos da narrativa, entendendo-a como uma prática social constitutiva da realidade, que se faz como uma performance para o outro na vida social.

Responsável: Liliana Cabral Bastos

 

Analise de narrativa - tempo, estigma e interação em diferentes contextos da vida social contemporânea (2016 – em andamento)

O presente projeto de pesquisa tem por objetivo avançar a articulação do que entendemos por análise de narrativa, isto é, por uma forma de se fazer análise do discurso através de uma lente narrativa. Em continuidade com projetos anteriores (Bastos, 2010, 2013), permanece o interesse em aprofundar o entendimento dos diversos contextos da vida social contemporânea, com foco na presença de conflitos, tensões e violências. Tais interesses agora se reorganizam, de modo a abranger alguns novos temas e especificidades: no estudo da narrativa, será focalizada a questão do tempo, isto é, da (co)construção da temporalidade na narrativa; e, na discussão das tensões da vida contemporânea, dirigiremos olhar para a questão do estigma.

Responsável: Liliana Cabral Bastos

 

Autoetnografia em estudos da linguagem e áreas interdisciplinares: abordagens teóricas, metodologias e práticas profissionais (2015 – em andamento)

O projeto tem por foco de investigação a autoetnografia, a partir dos seguintes aspectos: i) o histórico e as concepções de autoetnografia; ii) as abordagens teóricas e metodológicas sobre autoetnografia em estudos da linguagem e áreas interdisciplinares; iii) as práticas da autoetnografia em contextos profissionais. Procuramos analisar e entender as subjetividades dos participantes, as intersubjetividades na interação, as relações de poder, os posicionamentos, quem tem voz na pesquisa, a reflexividade e ética na pesquisa. A orientação teórico-metodológica é qualitativa e interpretativa, de natureza interdisciplinar e multidisciplinar, de ordem micro e macro, de ação social, com foco na linguagem em interação, em contexto situacional, social e cultural.

Responsável: Maria das Graças Dias Pereira

 

Discurso reflexivo, ético e investigativo em pesquisa do praticante (2014- em andamento)

Centrado na investigação do discurso reflexivo gerado por professores e alunos na Prática Exploratória, o presente projeto se insere no paradigma de educação continuada que valoriza professores e alunos como agentes e pesquisadores praticantes de seu fazer pedagógico sociohistoricamente construído. Pressupostos teóricos orientadores se encontram na Pesquisa Qualitativa do Praticante, na Sociolinguística Interacional, e na Pedagogia Crítica.

Responsável: Ines Kayon de Miller

 

Expertise interacional e práticas profissionais (2014- em andamento)

Num mundo profissional cada vez mais interativo, a competência para interagir tem sido vista como um fator crucial tanto para o indivíduo, como para a organização. No entanto, pouco se sabe sobre o que constitui essa competência e como ela se manifesta linguístico-discursivamente. Este projeto tem como foco a expertise interacional de profissionais em práticas situadas. O objetivo desta pesquisa é o de construir inteligibilidade para o conceito de expertise interacional, a partir do estudo das manifestações de duas habilidades interpessoais, associadas ao conceito de competência interpessoal: a empatia e os trabalhos de face dirigidos ao self. Pretende-se aqui fornecer evidências empíricas de como a expertise interacional é crucial em determinadas atividades e como a falta dessa expertise tem efeitos sobre indivíduos, instituições e para a construção de uma sociedade menos excludente. A partir de uma abordagem interacional da comunicação e da utilização do ferramental teórico-analítico fornecido pela Análise da Conversa e pela Sociolinguística Interacional, será examinado como a manifestação das habilidades citadas são construídas e negociadas interacionalmente. A geração de dados contempla o campo de atividade de profissionais que atuam em organizações empresariais e o campo de atividade de policiais que atuam em comunidades pacificadas.

Responsável: Maria do Carmo Leite de Oliveira

 

Habilidades comunicativas e prática policial em comunidades em processo de pacificação (2016- em andamento)

Buscando contribuir para a melhoria da comunicação policial-morador em comunidades em processo de pacificação, este projeto examina o papel das habilidades comunicativas na prática policial nesse contexto. Nossa abordagem se baseia na Análise da Conversa Intervencionista e tem como pressuposto que a habilidade comunicativa é um construto cultural. Como estratégia de pesquisa, adotamos múltiplas perspectivas e métodos de geração de dados. A análise tem como foco a reflexão dos policiais sobre suas práticas comunicativas e a percepção dos moradores sobre essas práticas a partir de suas experiências cotidianas. Espera-se como resultado da pesquisa uma melhor compreensão sobre os juízos de valor que subjazem ao que policial e cidadão entendem como uma boa ou má prática comunicativa no trabalho policial.

Responsável: Maria do Carmo Leite de Oliveira

 

Identidade e ensino: análise da prática discursiva avaliativa na socioconstrução de conhecimento pedagógico (2014 – em andamento)

Análise da prática discursiva em sala de aula de língua materna e estrangeira, especialmente a prática avaliativa discente acerca do processo de socioconstrução do conhecimento pedagógico. Inserida na área de Linguística Aplicada, a pesquisa fundamenta-se na Linguística Sistêmico-Funcional e no Sistema de Avaliatividade, em interface com estudos de construção de identidade de viés socioconstrucionista. A pesquisa visa investigar como, por meio de diferentes instrumentos de aprendizagem, alunos da escola básica da rede pública (re)constroem suas identidades sociais - individuais e coletivas. Problematização do discurso pedagógico, docente e discente, a partir do contraponto o que dizemos x o que dizem sobre nós.

Responsável: Adriana Nogueira Accioly Nóbrega

 

Linguagem em interação com surdos e ouvintes: práticas profissionais em educação e saúde (2015- em andamento)

O projeto tem por foco de investigação práticas profissionais com surdos e ouvintes, envolvendo a discussão de políticas de educação e saúde, atividades pedagógicas, atendimentos a famílias e filhos, entrevistas com os sujeitos da pesquisa. Serão também abordados os discursos sobre a surdez, as questões identitárias envolvendo surdos e ouvintes, as filosofias educacionais para surdos, as metodologias utilizadas, a dimensão ética da pesquisa, a agência e o empoderamento. A orientação teórico-metodológica é qualitativa e interpretativa, de natureza interdisciplinar e multidisciplinar, de ordem micro e macro, de ação social, com foco na linguagem em interação, em contexto situacional, social e cultural, com interfaces entre a linguística aplicada, a sociolinguística interacional, a multimodalidade, a análise da conversa etnometodológica e intervencionista, a análise da narrativa, a pragmática, os estudos Bakhtinianos sobre dialogismo e polifonia, a micro argumentação, a análise crítica do discurso.

Responsável: Maria das Graças Dias Pereira

 

Prática Exploratória: ações pedagógico-investigativas para entender a vida em sala de aula (2014 – em andamento)

Investigação do discurso pedagógico-investigativo gerado por alunos, professores e licenciandos em atividades pedagógicas com potencial exploratório, inspiradas nos princípios reflexivos, éticos e inclusivos da Prática Exploratória. Análise e interpretação das vozes, crenças, alinhamentos e enquadres interacionais que emergem no discurso de praticantes exploratórios.

Responsável: Inés Kayon de Miller

 

Práticas discursivas e avaliação na construção de sentidos em contextos pedagógicos e profissionais (2016 – em andamento)

O projeto tem por objetivo investigar a contribuição de recursos linguísticos avaliativos para construção de sentidos em contextos pedagógicos e profissionais, com foco na análise de textos verbais/não verbais e seus contextos de uso. A pesquisa adota a visão de prática discursiva como um espaço interacional para a criação e negociação de múltiplos significados e busca dar ênfase às relações entre os falantes/escritores e desses com as comunidades em que participam, realçando o caráter social, multifuncional, multimodal e mediador da linguagem. A arquitetura teórica que orienta as análises geradas no âmbito do projeto toma por base a perspectiva sociossemiótica de linguagem proposta pela linguística sistêmico-funcional, especialmente o sistema de avaliatividade, e suas interfaces com outros campos do saber, tais como: análise de discurso crítica; estudos de gêneros discursivos e de multimodalidade; estudos da narrativa e de identidade e estudos sócio-históricos e culturais voltados ao ensino-aprendizagem de línguas.

Responsável: Adriana Nogueira Accioly Nóbrega

 

Práticas discursivas híbridas em contextos profissionais (2011- em andamento)

O projeto tem por foco de investigação práticas discursivas híbridas em diferentes contextos profissionais, nas áreas de ensino, da saúde, de transportes, dentre outras. A ordem institucional e a atuação profissional são reguladas por regras estabelecidas previamente. Práticas discursivas, no entanto, se estabelecem a partir de atividades cotidianas dos participantes, na ordem interacional, bem como através de outras formas de textualização. O hibridismo em práticas discursivas aponta para mudanças em modos de fala, socialização em comunidades de prática e construção de identidades, com complexidade e múltiplas camadas nas práticas de trabalho, envolvendo experiência pessoal, profissional e institucional. A orientação teórico-metodológica envolve interfaces entre a análise da narrativa, a sociolinguística interacional, a análise da conversação, os estudos Bakhtinianos sobre dialogismo e polifonia, a análise crítica do discurso.

Responsável: Maria das Graças Dias Pereira

 

Programa de Educação Tutorial - Linguagens e identidades de gênero em perspectiva interdisciplinar (2014 – em andamento)

O Programa de Educação Tutorial (PET) de Letras da PUC-Rio desenvolve, desde 2014, um projeto de pesquisa geral sobre a construção discursiva das identidades de gênero. Os trabalhos desenvolvidos no âmbito deste projeto procuram promover inteligibilidades sobre a construção das feminilidades, masculinidades e suas desconstruções não-normativas a partir da análise de representações literárias, dramáticas e discursivas em contexto de fala-em-interação. Busca-se flagrar, nesses corpora, estereótipos, contra-discursos, possibilidades de diálogo, desnaturalizações e reconstruções. Subdividida em pequenos grupos de trabalho, compostos pelos discentes bolsistas do PET sob minha supervisão, a pesquisa apresenta caráter interdisciplinar, articulando áreas do saber da análise de discurso, da literatura brasileira e comparada e das artes cênicas. Por essa razão, mobiliza paradigmas metodológicos diferentes para cada um de seus objetivos específicos, sendo comum, no entanto, a orientação qualitativa e interpretativista.

Responsável: Liana de Andrade Biar

 

Programa de Iniciação à Docência – ações exploratórias para o entendimento do/no contexto escolar (2015 – em andamento)

O Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES) desenvolve, no Departamento de Letras da PUC-Rio, um trabalho de investigação integrado às práticas pedagógicas vivenciadas nas aulas de Língua Portuguesa e de Língua Inglesa da escola municipal na qual o projeto se desenvolve. Inspirados nos princípios reflexivos, éticos e inclusivos da Prática Exploratória, licenciandos, professores supervisores e alunos trabalham com atividades pedagógicas com potencial exploratório que os ajudam a entender a qualidade de vida vivenciada nos diferentes espaços escolares, como salas de aula, laboratórios, bibliotecas, espaços recreativos desportivos, etc. Nessas vivências pedagógico-investigativas, seus agentes enfatizam a busca de entendimentos e a discussão como oportunidades ímpares para reflexão. Nas reuniões realizadas na universidade, os grupos de bolsistas com seus respectivos supervisores e coordenadores dos projetos investigam reflexivamente esse discurso pedagógico-investigativo gerado na escola, com apoio em textos teóricos. Desse modo, faz-se a análise e interpretação das vozes, crenças, alinhamentos e enquadres interacionais que emergem no discurso dos praticantes exploratórios.

Responsável: Ines Kayon de Miller

 

Promoção da Educação na Unidade Prisional da Polícia Militar do Rio de Janeiro (2015 – em andamento)

O projeto busca contribuir para o processo de reinserção social do custodiado. Em sua primeira etapa, buscou-capacitar os policiais presos para a prova do ENEM, através de aulas presenciais e preparação de material didático. Numa segunda etapa, participamos do Projeto de Remissão da Pena pela Leitura, através do incentivo à leitura agregando valores éticos - morais e o desenvolvimento da capacidade crítica.

Responsável: Maria do Carmo Leite de Oliveira

TOPO

Projetos de pesquisa em andamento, listados por linha e em ordem alfabética.

Linha “Descrição do português, Ensino e Tecnologia”

Linha “Língua e Cognição: representação, processamento e aquisição da linguagem”

Linha “Linguagem, sentido e tradução”

Linha “Discurso, práticas cotidianas e profissionais”

 

Linha “Descrição do português, Ensino e Tecnologia”

Construções lexicais do português: polissemia (2015- em andamento)

Na esteira de resultados preliminares de projetos anteriores, e adotando pressupostos teóricos da Gramática Cognitiva, o projeto tem por objetivo investigar o aspecto polissêmico das construções lexicais de diferentes tipos no Português do Brasil, abrangendo a polissemia prefixal, a polissemia nos compostos, expressões, locuções, e outros tipos de construções lexicais.

Responsável: profa. Margarida Basílio

 

Esqueleto investigação sobre o léxico do corpo para a inclusão de informação semântica em corpora da língua portuguesa (2013-2016)

O projeto Esqueleto tem como objetivo a investigação do léxico do corpo, tendo em vista a inclusão de informação semântica nos corpora do projeto AC/DC (Costa et al., 2009; Santos, 2011). Subordina-se ao objetivo mais amplo de melhoria de recursos linguísticos para o processamento computacional da língua portuguesa. Busca, especificamente, responder às seguintes perguntas: Como nos referimos ao corpo /partes do corpo em português? Que outros tipos de sentido atribuímos às palavras que compõem o léxico do corpo?

Responsável: profa. Maria Cláudia de Freitas

 

Questões interculturais do português do Brasil como segunda língua para estrangeiros (PL2E) (2015- em andamento)

Identificação, análise e categorização de questões relevantes para a descrição e o ensino do português como segunda língua, em especial para estrangeiros, com base nos estudos do interculturalismo. Abordagem pluralista, utilizando-se também do arcabouço teórico-metodológico do funcionalismo e do interacionismo, de forma a se estabelecerem contrastes entre os diferentes tipos de estruturas do português do Brasil que podem interferir na competência intercultural dos aprendizes, a saber: lexicais, gramaticais, interacionais e culturais. Confronto com outras línguas, como o chinês, o alemão e o hindi, entre outras, porém com ênfase no inglês norteamericano.

Responsável: profa. Rosa Marina de Brito Meyer

 

Recursos linguísticos para o PLN da língua portuguesa (2015- em andamento)

O projeto pretende investigar pontos de diálogo entre abordagens simbólicas e estatísticas tomando como ponto de partida a construção de datasets linguísticos ? recursos corpora anotados. Adicionalmente, o projeto toma por base a língua portuguesa, partindo do princípio de que abordagens podem ser independentes de língua, mas recursos linguísticos, não. Como contribuições do projeto, prevê-se a melhoria de recursos linguísticos para o PLN, tendo como objetivo final enriquecer as possibilidades de exploração das Humanidades Digitais em língua portuguesa. Quanto ao enquadramento teórico, o projeto assume uma visão de língua compatível com o ângulo sugerido por Wittgenstein (1953)

Responsável: profa. Maria Cláudia de Freitas

 

Projetos  interinstitucionais com participação de docente do PPGEL

 

Gramateca – uma gramática da língua portuguesa com base em grandes corpora (2014 – em andamento)  

A Gramateca é um projeto colaborativo, capitaneado pela Linguateca, de uma gramática baseada em corpus para a língua portuguesa – especificamente, o projeto toma por base o material do AC/DC. Uma das fontes de inspiração para este projeto foi a gramática de Biber, Johansson et al. (1999) para o inglês, mas, passados quinze anos, é possível ir além: não só porque os corpos em que a Gramateca se baseia (todo o material do AC/DC) são públicos, e porque as técnicas estatísticas modernas estão bem mais desenvolvidas, mas também porque, em vez de um simples etiquetador, temos acesso à riqueza da anotação do PALAVRAS (Bick, 2000), e a alguma anotação semântica criada pela Linguateca, nomeadamente cor, roupa, corpo humano e emoções.

Página do projeto: http://www.linguateca.pt/Gramateca/

Responsável na PUC-Rio: Cláudia Freitas/ Coordenadora: Diana Santos (Universidade de Oslo)

 

 

 

OpenWordNet-PT: uma wordnet aberta para a língua portuguesa (2014 – em andamento)

Uma wordnet é uma base de dados lexical usada por sistemas que realizam processamento automático de textos. O princípio central das wordnets, e que as diferencia de dicionários convencionais, é que a unidade básica não é a palavra, mas o sentido. Assim, diferentes palavras podem estar agrupadas em uma mesma entrada, chamada synset . A OpenWordNet-PT é o projeto de criação e melhoria de um recurso lexical aberto para o processamento automático da língua portuguesa.  O projeto é uma colaboração entre pesquisadores de diferentes instituições, como o PPGEL (professora Cláudia Freitas) e a IBM Research/Brasil.
Página do projeto: 
http://wnpt.brlcloud.com/wn 
Responsável na PUC-Rio: Cláudia Freitas/ Coordenador:
Alexandre Rademaker (EMAp/FGV; IBM)

 

 

 

Linha “Língua e Cognição: representação, processamento e aquisição da linguagem”

 

Aspectos cognitivos e metacognitivos da leitura e da escrita sob o olhar da Psicolinguística (2015 – em andamento)

O presente projeto focaliza a investigação de aspectos cognitivos e metacognitivos envolvidos na compreensão e produção de textos escritos em ambiente acadêmico, pertencentes a diferentes gêneros textuais. Busca-se especificar as principais demandas linguístico-discursivas associadas ao processamento desses textos, considerando os diferentes modos semióticos por meio dos quais os mesmos se estruturam. A pesquisa dá continuidade ao projeto “A leitura e a escrita numa abordagem Psicolinguística” e faz uso de ferramentas de investigação como rastreador ocular e keyloggers (combinados a programas de gravação de tela), os quais permitem o registro on-line, respectivamente, do movimento do olhar durante a leitura e das ações no teclado durante a escritura. A relevância desse tipo de dado para o desenvolvimento de estratégias de ensino/aprendizagem é explorada numa interface Psicolinguística e Educação.

Responsável: Erica dos Santos Rodrigues

 

 

Condições de interface em dependências sintáticas (2012- em andamento)

Com foco na gramática do Português do Brasil, esse projeto visa verificar as condições/restrições de interface que atuam sobre dependências sintáticas. Na primeira fase do projeto, trabalhamos com questões de escopo entre expressões nominais quantificadas, movimento em LF de quantificadores e com processos de elisão. Essa primeira fase contou com financiamento da PUC-Rio/Bolsa de produtividade/2012. Na segunda fase do projeto, que terá início em 2015, buscaremos, em conjunto com a pesquisadora Letícia Sicuro/LAPAL/PUC-Rio e João Costa/Universidade Nova de Lisboa, pesquisar sobre dependências envolvendo argumentos nulos, em especial o sujeito nulo do Português Brasileiro. Parece haver no Brasil bastante variação em relação ao comportamento sintático e semântico de pronomes nulos em posição de sujeito sentencial. Em algumas regiões (e.g. Minas Gerais) esses pronomes parecem se comportar como anáforas, estabelecendo dependências sintáticas e semânticas com expressões nominais presente na sentença. Em outras regiões, no entanto, (e.g. Rio de Janeiro) os falantes parecem aceitar o pronome nulo como um pronome pleno. Nosso objetivo é primeiramente mapear essas diferenças dialetais para depois comparar o Português do Brasil com outras línguas românicas de sujeito nulo (e.g. Português Europeu, Espanol e Italiano). Nossa meta é fazer uso de uma metodologia experimental de testagem de dados para garantir que os resultados obtidos tenham pouca influência de variáveis externas, como contextos pragmáticos.

Responsável: Cilene Aparecida Nunes Rodrigues

 

Domínios indefinidos: um estudo da metáfora e metonímia em compostos e expressões lexicais (2015 – em andamento)

O projeto investiga o papel da metáfora e da metonímia, isoladamente e em interação, na constituição e identificação de compostos e expressões lexicais.

Responsável: profa. Margarida Basílio

 

Morfomas nas línguas românicas: um estudo teórico-experimental sobre a interface sintaxe-morfologia (2013- em andamento)

O presente projeto apresenta proposta de pesquisa de linguística formal, caracterizando-se como relevante para o entendimento da gramática dentro do arcabouço teórico da Gerativa. Tem contribuição principalmente no que tange a interface entre a sintaxe e a morfologia. O objetivo principal é analisar em que medida há uma autonomia da morfologia em relação à sintaxe. Buscamos verificar se a hipótese da morfologia autônoma, tal como proposta por Aronoff (1994), tem validade quanto a constituição de formas verbais subjuntivas e de formas nominais agentivas nas línguas românicas. Utilizando-se de metodologia experimental para testagem de dados, examinaremos se essa hipótese faz previsões corretas para a aquisição de itens lexicais novos. Assim, nossos resultados terão impacto tanto para a concepção formal de gramática quanto para a concepção de Gramática Universal (cf. Chomsky 1981, 1986, 1995, 2000, 2001, entre outros).

Responsável: Cilene Aparecida Nunes Rodrigues

 

Processamento e aquisição da linguagem sob ótica minimalista: extensão e comparação de modelos (2012 – em andamento)

O projeto dá continuidade ao desenvolvimento do modelo integrado de computação on-line (MINC), que busca adaptar a concepção de uma derivação minimalista à caracterização da computação sintática em tempo real, na produção e na compreensão de enunciados linguísticos, e de um modelo procedimental de aquisição da linguagem (MPAL) que incorpora a hipótese do bootstrapping fonológico e, partindo de um léxico mínimo, visa a caracterizar a progressiva especificação dos traços de categorias funcionais mediante o processamento de informação legível nas interfaces fônica e semântica. Em particular, busca-se estender o MINC, de modo a incorporar um componente intencional (de natureza pragmática) em interação com traços formais do léxico, e avalia-se a propriedade da incorporação da Teoria da Relevância (Sperber &Wilson 1986/1995; 2002) para este fim. Busca-se ainda compatibilizá-lo com efeitos relativos a processos integrativos e antecipatórios no parsing e discuti-lo em relação à proposta de um parser minimalista (Fong, 2004; 2005; 2011). Com relação ao MPAL, dá-se continuidade ao tratamento de questões pertinente a custo diferenciado no desenvolvimento linguístico e avalia-se em que medida este é compatível com propostas correntes que incorporam o conceito de gramáticas múltiplas (Roeper, 1999, 2003; Yang, 2002; Adger, 2006) e/ou de decodificação paramétrica (Fodor, 2006; Sakas, Fodor & Hoskey, 2007), como forma de responder a questões de aprendibilidade.

Responsável: Letícia Maria Sicuro Corrêa.

 

 

Processamento linguístico e incrementalidade: o que os olhos podem informar sobre o curso temporal da produção e compreensão de sentenças. (2012- 2016)

O projeto de pesquisa insere-se na área da Psicolinguística e tem como objetivo investigar o curso temporal da compreensão e da produção da linguagem, à luz de metodologia experimental que explora relações de interface entre linguagem e visão. O projeto possui duas frentes de investigação: (i) uma frente teórica, voltada à caracterização da incrementalidade no processamento linguístico, com foco em processos antecipatórios, no caso da compreensão, e com foco na seleção de estruturas linguísticas em situações que envolvem apreensão de cenas, no caso da produção; (ii) uma frente voltada para questões metodológicas relacionadas ao emprego de estímulos visuais em experimentos psicolinguísticos e testes de avaliação de habilidades linguísticas e à análise de movimentos oculares dos participantes na formulação de hipóteses acerca das representações e operações mentais mobilizadas na decodificação e formulação de enunciados linguísticos. Em termos mais específicos, o projeto buscar caracterizar que tipo de informação linguística pode deflagrar processos antecipatórios e qual a interferência do grau de planejamento da fala na codificação linguística de informação do nível conceptual. Avalia-se, ainda, o papel de contexto visual prévio na definição do custo de processamento de estruturas linguísticas complexas.

Responsável: Erica dos Santos Rodrigues

 

Processamento sintático e questões de interpretação na interface sintaxe-semântica (2014 – em andamento) (Sucupira)

O projeto dá continuidade às pesquisas conduzidas no âmbito do projeto “complexidade computacional em uma visão integrada processador/gramática”, focalizando, particularmente, estruturas implicadas em relações de quantificação e numero(sidade) (estruturas distributivas, coletivos, quantificadores, nomes nus, etc) e fatores sintático-semânticos que determinam o parsing e interpretação de tais estruturas na compreensão e sua formulação (e monitoramento) durante a produção de enunciados linguísticos. A computação da concordância e processos de retomada anafórica envolvendo tais estruturas são tomados como informativos acerca dos fatores implicados no seu processamento. Explora-se, ainda, possível assimetria entre compreensão e produção no que tange, respectivamente, à aceitabilidade/gramaticalidade e à produção de sentenças que codificam as relações de numerosidade investigadas.

Responsável: Erica dos Santos Rodrigues

 

 

Recursão/auto-encaixamento na língua Pirahã/Mura (2012 – em andamento) (Sucupira)

Este projeto visa analisar questões relacionadas a encaixamento em pirahã, língua mura falada na Amazônia brasileira. Everett (2005, 2009) argumenta que pirahã não possui encaixamento recursivo em nenhum nível sintático. No entanto, Nevins, Pesetsky e Rodrigues (2009, 2010), com base em dados coletados pelo próprio Everett, apresentam uma série de evidências a favor de recursividade em pirahã. Nosso objetivo é realizar pesquisa de campo, coletar dados novos e fazer análise sintática, morfológica e semântica minuciosa de estruturas com possíveis encaixamentos na língua para verificar a existência ou não de recursividade nesta língua.

Responsável: Cilene Aparecida Nunes Rodrigues

 

Representação e acesso a informação gramatical no DEL: sintomas compartilhados com transtornos de alta incidência em crianças em idade escolar (2015 – em andamento) (Sucupira)

Este projeto, aprovado no Edital Cientistas do Nosso Estado - FAPERJ (2014), tem como foco as manifestações caraterísticas do DEL (Défict ou Distúrbio Específico da Linguagem) concomitantes a sintomas de transtornos de alta incidência em crianças em idade escolar (TDAH, DEA e Dislexia). Uma tipologia para manifestações do DEL é proposta ? DEL representacional (DEL-R, Tipo 1 e Tipo 2, distinguindo atraso de linguagem de linguagem altamente corrompida) e DEL procedimental (DEL-P), levando-se em conta sua possível natureza (comprometimento no processo de aquisição da língua (DEL-R); comprometimento no acesso automático a informação gramaticalmente relevante na produção/compreensão da linguagem (DEL-P)) à luz de pressupostos minimalistas (Corrêa & Augusto, 2011; Corrêa, 2009; 2014). Avalia-se o caráter primário/secundário de sintomas compatíveis com essa tipologia (no quadro do TDAH e DEA), focalizando-se habilidades pertinentes ao processamento de estruturas de alto-custo (como relativas de objeto) e à interface gramática-pragmática. Investiga-se em que medida comprometimentos sugestivos de DEL-P em crianças em idade escolar podem ser influenciados por fatores pertinentes a atenção. No que diz respeito à concomitância com sintomas de dislexia, investiga-se a relação entre DEL-P e fluência na leitura oral, em função de parâmetros pertinentes à interface sintaxe-prosódia.

Responsável: Letícia Maria Sicuro Corrêa.

 

Linha “Linguagem, sentido e tradução”

 

A linguagem como forma de vida e o perspectivismo (2013- 2016)

Este projeto investiga uma famosamente elusiva e difícil noção wittgensteiniana: forma de vida (Lebensform). Reconhece nela o índice possível de uma manifestação singular de perspectivismo no pensamento do filósofo. Ambiciona contribuir para a compreensão e potenciação dessa singularidade, construindo uma reflexão que exponha a noção wittgensteiniana de linguagem como forma de vida à atmosfera de outros pensamentos perspectivistas. Buscará fazê-lo não apenas no interior do campo da filosofia matriz do próprio termo perspectivismo , mas também no âmbito de importantes reverberações ou apropriações contemporâneas que têm lugar em outras áreas, notadamente na antropologia e nos estudos da linguagem e da literatura.

Responsável: Helena Franco Martins

 

A linguagem como forma de vida e o perspectivismo: tradução e devir (2016- em andamento)

Este projeto continua e desdobra a investigação em curso sobre a elusiva noção wittgensteiniana de forma de vida (Lebensform). Tendo estabelecido e explorado a pertinência de tomá-la como índice de uma manifestação singular de perspectivismo no pensamento de Wittgenstein, ambiciono agora deter-me sobre as duas seguintes questões específicas, que tomo como interligadas: (a) como pensar aí a questão do devir das formas de vida, os deslocamentos capazes de atingir a esfera (perspectiva) das convicções cegas, das certezas refratárias à intelecção (Weltbilder)? (b) como pensar, nesse âmbito, a circunstância e o papel da tradução, sobretudo em sua dimensão performativa? O foco da investigação é o jogo entre tradução e devir em circunstâncias de encontro com formas de vida ditas "selvagens". A estratégia é a mesma adotada no projeto anterior: expor o perspectivismo wittgensteiniano à atmosfera de outros pensamentos de orientação perspectivista, provenientes da filosofia, da antropologia, dos estudos da tradução -- e também da arte, levando em conta, entre outras coisas, a famosa formulação de Lévi-Strauss, segundo a qual a arte seria uma espécie de reserva ecológica do pensamento selvagem no mundo dito civilizado.

Responsável: Helena Franco Martins

 

Adaptações de peças de William Shakespeare para o público infanto-juvenil (2014 – em andamento)

A proposta deste projeto é analisar adaptações das peças de William Shakespeare para o público infantojuvenil sob forma de quadrinhos, videogames e romances em prosa. A partir de um corpus dessas adaptações, será verificado: (i) como essas adaptações são feitas, ou seja, quais são os processos multimodais adotados nessas transposições, que incluem traduções intersemióticas; (ii) em que medida as principais características das obras no que diz respeito a temas, tramas, perfil dos personagens e linguagem são preservadas; (iii) que imagem do autor e da obra é passada para os leitores-alvo das adaptações; e, por fim, (iv) qual a recepção/fortuna crítica dessas adaptações, com base em resenhas, comentários e outros metatextos. A relevância desta pesquisa está no fato de que as adaptações voltadas para crianças e jovens feitas a partir das peças de Shakespeare considerado um dos autores mais proeminentes do chamado cânone ocidental podem ter o papel de atrair novos leitores tanto para as versões integrais das obras quanto para a atividade da leitura em si.

Responsável: Márcia do Amaral Peixoto Martins

 

 

Psicanálise, linguagem, tradução, ensino (2014 – em andamento)

Com a psicanálise, investiga-se a emergência do Inconsciente em atos de linguagem diversos, dentre eles a leitura, a escrita e diferentes formas de reescrita, considerados, principalmente, os contextos da tradução e do ensino de língua não materna. Partindo de textos de Freud, Lacan e Derrida, constituem convicções fundamentais do estudo o assujeitamento ao desejo do inconsciente, a desconstrução da lógica dicotômica, e o simbólico como campo perpassado pelo imaginário e pelo real, este compreendido como impossibilidade de conhecimento e controle.

Responsável: Maria Paula Frota

 

 

Questões de poética e ideologia nos diferentes tipos de reescrita (2014  - em andamento)

A partir do pressuposto de que as reescritas criam imagens de obras e autores na cultura receptora ao manipular aspectos textuais ou culturais no processo de sua produção, estudam-se as coerções de ordem poetológica e ideológica, bem como as ações de patronagem, que se aplicaram (ou podem se aplicar) às traduções, adaptações, antologias, historiografias e outros tipos de reescrita em determinadas épocas e contextos socioculturais. A formação de tradutores sob a ótica do conceito de reescrita também é objeto de investigação.

Responsável: Márcia do Amaral Peixoto Martins

 

 

Teoria e prática da tradução de poesia (2016 – em andamento)

Estudo contrastivo dos sistemas de versificação do português e de outros idiomas, com ênfase no inglês, abrangendo a poesia propriamente dita e a letra de canção. Estudo crítico dos principais teóricos da área e de traduções poéticas publicadas, com base em critérios de avaliação minimamente consensuais.

Responsável: Paulo Fernando Henriques Britto

 

Linha “Discurso, práticas cotidianas e profissionais”

 

(Inter)ações discursivas e construção de significados em contextos pedagógicos e profissionais (2012-2016)

A Prática discursiva pedagógica como espaço de interação e criação de significados em contextos educacionais. Inserida na área de Linguística Aplicada, a pesquisa baseia-se em duas visões de linguagem aqui tidas como complementares: a abordagem de linguagem como ferramenta mediadora, de acordo com o proposto pela Teoria Sociocultural e a abordagem semântico-funcional, proposta pela Linguística Sistêmico-Funcional. O projeto tem como objetivo a interpretação, descrição, valoração e análise dos aspectos linguísticos, socioculturais, históricos e interpessoais das interações discursivas pedagógicas (orais e escritas), visando analisar o caráter social, multifuncional e mediador da linguagem em processos de construção e negociação de conhecimentos pedagógicos.

Responsável: Adriana Nogueira Accioly Nóbrega

 

A neutralização do desvio no encontro interacional misto: narrativa, identidade e estigma em três laminações (2014 – em andamento)

O projeto busca analisar os efeitos discursivos que se produzem nos encontros mistos (Goffman, 1988), isto é, aqueles que reúnem face a face, por exemplo na entrevista de pesquisa, identidades hegemônicas e estigmatizadas. Alinhada aos estudos pós-estruturalistas sobre identidade, a proposta focaliza as tensões e os efeitos derivados do manejo interacional do desvio (Becker, 1963) ou estigma (Goffman, 1988), fazendo dialogar a sociologia do desvio com os estudos pragmático-interacionais e a análise de narrativas. Do ponto de vista metodológico, o projeto propõe que performances orientadas para o apagamento do estigma em encontros mistos podem ser produtivamente compreendidas a partir de uma abordagem interpretativista que se desdobra em três camadas ou laminações: (i) a primeira, de natureza pragmático-interacional, lança luz sobre o trabalho de face constituinte dos encontros mistos; (ii) a segunda, de natureza discursiva e diretamente vinculada aos estudos de narrativa, identifica e descreve a estrutura das narrativas orais que naturalmente emergem do encontro social, em busca dos processos e marcas de construção identitária (Bastos, 2003; 2008) e dos sistemas de crença (Linde, 1993) neutralizadores do desvio; a terceira, de natureza macrodiscursiva, procurará mapear os discursos que emergem do encontro misto na cadeia de enunciados (Bakhtin, 1979) da qual eles participam.

Responsável: Liana de Andrade Biar

 

 

Análise de narrativa - proposta de uma abordagem interacional do discurso em diferentes contextos da vida social contemporânea (2013-2016)

O projeto centra-se no estudo da narrativa e da identidade, voltado para questões e problemáticas diversas da vida social contemporânea, em articulação com ações sociais e projetos de pesquisa da área da saúde. Dentre tais questões, tratamos da construção da violência na fala de adolescentes moradores de territórios de risco, que participam de projetos conduzidos por profissionais de saúde. Tratamos também, no âmbito do G-NIT (GRPesq Narrativa, identidade e trabalho), de temas como gênero, sexualidade, juventude/infância, violência, conflito e exclusão, trabalho e classes populares, saúde (afasia, obesidade, gravidez, puberdade) em falas produzidas nos contextos da escola, da universidade, da delegacia de polícia, do hospital, de movimentos políticos/sociais, empresas e ONGs. A proposta de uma análise de narrativa, que entendemos como uma prática de análise do discurso à luz narrativa, aqui se faz articulando o estudo do discurso e da interação, com o uso de diversos construtos tais como posicionamento, alinhamentos/enquadres, agência, entextualização, discurso reportado, avaliação. Pretendemos contribuir tanto para aprofundar o conhecimento sobre os contextos sociais pesquisados, quanto para os estudos da narrativa, entendendo-a como uma prática social constitutiva da realidade, que se faz como uma performance para o outro na vida social.

Responsável: Liliana Cabral Bastos

 

 

Análise de narrativa - tempo, estigma e interação em diferentes contextos da vida social contemporânea (2016 – em andamento)

O presente projeto de pesquisa tem por objetivo avançar a articulação do que entendemos por análise de narrativa, isto é, por uma forma de se fazer análise do discurso através de uma lente narrativa. Em continuidade com projetos anteriores (Bastos, 2010, 2013), permanece o interesse em aprofundar o entendimento dos diversos contextos da vida social contemporânea, com foco na presença de conflitos, tensões e violências. Tais interesses agora se reorganizam, de modo a abranger alguns novos temas e especificidades: no estudo da narrativa, será focalizada a questão do tempo, isto é, da (co)construção da temporalidade na narrativa; e, na discussão das tensões da vida contemporânea, dirigiremos olhar para a questão do estigma.

Responsável: Liliana Cabral Bastos

 

Autoetnografia em estudos da linguagem e áreas interdisciplinares: abordagens teóricas, metodologias e práticas profissionais (2015 – em andamento)

O projeto tem por foco de investigação a autoetnografia, a partir dos seguintes aspectos: i) o histórico e as concepções de autoetnografia; ii) as abordagens teóricas e metodológicas sobre autoetnografia em estudos da linguagem e áreas interdisciplinares; iii) as práticas da autoetnografia em contextos profissionais. Procuramos analisar e entender as subjetividades dos participantes, as intersubjetividades na interação, as relações de poder, os posicionamentos, quem tem voz na pesquisa, a reflexividade e ética na pesquisa. A orientação teórico-metodológica é qualitativa e interpretativa, de natureza interdisciplinar e multidisciplinar, de ordem micro e macro, de ação social, com foco na linguagem em interação, em contexto situacional, social e cultural.

Responsável: Maria das Graças Dias Pereira

 

Discurso reflexivo, ético e investigativo em pesquisa do praticante (2014- em andamento)

Centrado na investigação do discurso reflexivo gerado por professores e alunos na Prática Exploratória, o presente projeto se insere no paradigma de educação continuada que valoriza professores e alunos como agentes e pesquisadores praticantes de seu fazer pedagógico sociohistoricamente construído. Pressupostos teóricos orientadores se encontram na Pesquisa Qualitativa do Praticante, na Sociolinguística Interacional, e na Pedagogia Crítica.

Responsável: Ines Kayon de Miller

 

Expertise interacional e práticas profissionais (2014- em andamento)

Num mundo profissional cada vez mais interativo, a competência para interagir tem sido vista como um fator crucial tanto para o indivíduo, como para a organização. No entanto, pouco se sabe sobre o que constitui essa competência e como ela se manifesta linguístico-discursivamente. Este projeto tem como foco a expertise interacional de profissionais em práticas situadas. O objetivo desta pesquisa é o de construir inteligibilidade para o conceito de expertise interacional, a partir do estudo das manifestações de duas habilidades interpessoais, associadas ao conceito de competência interpessoal: a empatia e os trabalhos de face dirigidos ao self. Pretende-se aqui fornecer evidências empíricas de como a expertise interacional é crucial em determinadas atividades e como a falta dessa expertise tem efeitos sobre indivíduos, instituições e para a construção de uma sociedade menos excludente. A partir de uma abordagem interacional da comunicação e da utilização do ferramental teórico-analítico fornecido pela Análise da Conversa e pela Sociolinguística Interacional, será examinado como a manifestação das habilidades citadas são construídas e negociadas interacionalmente. A geração de dados contempla o campo de atividade de profissionais que atuam em organizações empresariais e o campo de atividade de policiais que atuam em comunidades pacificadas.

Responsável: Maria do Carmo Leite de Oliveira

 

Habilidades comunicativas e prática policial em comunidades em processo de pacificação (2016- em andamento)

Buscando contribuir para a melhoria da comunicação policial-morador em comunidades em processo de pacificação, este projeto examina o papel das habilidades comunicativas na prática policial nesse contexto. Nossa abordagem se baseia na Análise da Conversa Intervencionista e tem como pressuposto que a habilidade comunicativa é um construto cultural. Como estratégia de pesquisa, adotamos múltiplas perspectivas e métodos de geração de dados. A análise tem como foco a reflexão dos policiais sobre suas práticas comunicativas e a percepção dos moradores sobre essas práticas a partir de suas experiências cotidianas. Espera-se como resultado da pesquisa uma melhor compreensão sobre os juízos de valor que subjazem ao que policial e cidadão entendem como uma boa ou má prática comunicativa no trabalho policial.

Responsável: Maria do Carmo Leite de Oliveira

 

Identidade e ensino: análise da prática discursiva avaliativa na socioconstrução de conhecimento pedagógico (2014 – em andamento)

Análise da prática discursiva em sala de aula de língua materna e estrangeira, especialmente a prática avaliativa discente acerca do processo de socioconstrução do conhecimento pedagógico. Inserida na área de Linguística Aplicada, a pesquisa fundamenta-se na Linguística Sistêmico-Funcional e no Sistema de Avaliatividade, em interface com estudos de construção de identidade de viés socioconstrucionista. A pesquisa visa investigar como, por meio de diferentes instrumentos de aprendizagem, alunos da escola básica da rede pública (re)constroem suas identidades sociais - individuais e coletivas. Problematização do discurso pedagógico, docente e discente, a partir do contraponto o que dizemos x o que dizem sobre nós.

Responsável: Adriana Nogueira Accioly Nóbrega

 

Linguagem em interação com surdos e ouvintes: práticas profissionais em educação e saúde (2015- em andamento)

O projeto tem por foco de investigação práticas profissionais com surdos e ouvintes, envolvendo a discussão de políticas de educação e saúde, atividades pedagógicas, atendimentos a famílias e filhos, entrevistas com os sujeitos da pesquisa. Serão também abordados os discursos sobre a surdez, as questões identitárias envolvendo surdos e ouvintes, as filosofias educacionais para surdos, as metodologias utilizadas, a dimensão ética da pesquisa, a agência e o empoderamento. A orientação teórico-metodológica é qualitativa e interpretativa, de natureza interdisciplinar e multidisciplinar, de ordem micro e macro, de ação social, com foco na linguagem em interação, em contexto situacional, social e cultural, com interfaces entre a linguística aplicada, a sociolinguística interacional, a multimodalidade, a análise da conversa etnometodológica e intervencionista, a análise da narrativa, a pragmática, os estudos Bakhtinianos sobre dialogismo e polifonia, a micro argumentação, a análise crítica do discurso.

Responsável: Maria das Graças Dias Pereira

 

 

Prática Exploratória: ações pedagógico-investigativas para entender a vida em sala de aula (2014 – em andamento)

Investigação do discurso pedagógico-investigativo gerado por alunos, professores e licenciandos em atividades pedagógicas com potencial exploratório, inspiradas nos princípios reflexivos, éticos e inclusivos da Prática Exploratória. Análise e interpretação das vozes, crenças, alinhamentos e enquadres interacionais que emergem no discurso de praticantes exploratórios.

Responsável: Inés Kayon de Miller

 

 

Práticas discursivas e avaliação na construção de sentidos em contextos pedagógicos e profissionais (2016 – em andamento)

O projeto tem por objetivo investigar a contribuição de recursos linguísticos avaliativos para construção de sentidos em contextos pedagógicos e profissionais, com foco na análise de textos verbais/não verbais e seus contextos de uso. A pesquisa adota a visão de prática discursiva como um espaço interacional para a criação e negociação de múltiplos significados e busca dar ênfase às relações entre os falantes/escritores e desses com as comunidades em que participam, realçando o caráter social, multifuncional, multimodal e mediador da linguagem. A arquitetura teórica que orienta as análises geradas no âmbito do projeto toma por base a perspectiva sociossemiótica de linguagem proposta pela linguística sistêmico-funcional, especialmente o sistema de avaliatividade, e suas interfaces com outros campos do saber, tais como: análise de discurso crítica; estudos de gêneros discursivos e de multimodalidade; estudos da narrativa e de identidade e estudos sócio-históricos e culturais voltados ao ensino-aprendizagem de línguas.

Responsável: Adriana Nogueira Accioly Nóbrega

 

 

Práticas discursivas híbridas em contextos profissionais (2011- em andamento)

O projeto tem por foco de investigação práticas discursivas híbridas em diferentes contextos profissionais, nas áreas de ensino, da saúde, de transportes, dentre outras. A ordem institucional e a atuação profissional são reguladas por regras estabelecidas previamente. Práticas discursivas, no entanto, se estabelecem a partir de atividades cotidianas dos participantes, na ordem interacional, bem como através de outras formas de textualização. O hibridismo em práticas discursivas aponta para mudanças em modos de fala, socialização em comunidades de prática e construção de identidades, com complexidade e múltiplas camadas nas práticas de trabalho, envolvendo experiência pessoal, profissional e institucional. A orientação teórico-metodológica envolve interfaces entre a análise da narrativa, a sociolinguística interacional, a análise da conversação, os estudos Bakhtinianos sobre dialogismo e polifonia, a análise crítica do discurso.

Responsável: Maria das Graças Dias Pereira

 

 

Programa de Educação Tutorial - Linguagens e identidades de gênero em perspectiva interdisciplinar (2014 – em andamento)

O Programa de Educação Tutorial (PET) de Letras da PUC-Rio desenvolve, desde 2014, um projeto de pesquisa geral sobre a construção discursiva das identidades de gênero. Os trabalhos desenvolvidos no âmbito deste projeto procuram promover inteligibilidades sobre a construção das feminilidades, masculinidades e suas desconstruções não-normativas a partir da análise de representações literárias, dramáticas e discursivas em contexto de fala-em-interação. Busca-se flagrar, nesses corpora, estereótipos, contra-discursos, possibilidades de diálogo, desnaturalizações e reconstruções. Subdividida em pequenos grupos de trabalho, compostos pelos discentes bolsistas do PET sob minha supervisão, a pesquisa apresenta caráter interdisciplinar, articulando áreas do saber da análise de discurso, da literatura brasileira e comparada e das artes cênicas. Por essa razão, mobiliza paradigmas metodológicos diferentes para cada um de seus objetivos específicos, sendo comum, no entanto, a orientação qualitativa e interpretativista.

Responsável: Liana de Andrade Biar

 

Programa de Iniciação à Docência – ações exploratórias para o entendimento do/no contexto escolar (2015 – em andamento)

O Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES) desenvolve, no Departamento de Letras da PUC-Rio, um trabalho de investigação integrado às práticas pedagógicas vivenciadas nas aulas de Língua Portuguesa e de Língua Inglesa da escola municipal na qual o projeto se desenvolve. Inspirados nos princípios reflexivos, éticos e inclusivos da Prática Exploratória, licenciandos, professores supervisores e alunos trabalham com atividades pedagógicas com potencial exploratório que os ajudam a entender a qualidade de vida vivenciada nos diferentes espaços escolares, como salas de aula, laboratórios, bibliotecas, espaços recreativos desportivos, etc. Nessas vivências pedagógico-investigativas, seus agentes enfatizam a busca de entendimentos e a discussão como oportunidades ímpares para reflexão. Nas reuniões realizadas na universidade, os grupos de bolsistas com seus respectivos supervisores e coordenadores dos projetos investigam reflexivamente esse discurso pedagógico-investigativo gerado na escola, com apoio em textos teóricos. Desse modo, faz-se a análise e interpretação das vozes, crenças, alinhamentos e enquadres interacionais que emergem no discurso dos praticantes exploratórios.

Responsável: Ines Kayon de Miller

 

Promoção da Educação na Unidade Prisional da Polícia Militar do Rio de Janeiro (2015 – em andamento)

O projeto busca contribuir para o processo de reinserção social do custodiado. Em sua primeira etapa, buscou-capacitar os policiais presos para a prova do ENEM, através de aulas presenciais e preparação de material didático. Numa segunda etapa, participamos do Projeto de Remissão da Pena pela Leitura, através do incentivo à leitura agregando valores éticos - morais e o desenvolvimento da capacidade crítica.

Responsável: Maria do Carmo Leite de Oliveira

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO
Rua Marquês de São Vicente, 255, Gávea
Rio de Janeiro, RJ - Brasil - 22451-900

DEPARTAMENTO DE LETRAS
Ed. Padre Leonel Franca - 3º andar
(21) 3527.1770

PUC-RIO
Todos os direitos reservados
© 2016

Selo da PUC-Rio

 

Melhor visualização: Internet Explorer 7.x, Firefox 3.x, Chrome 7.x, Safari 5.x ou versões superiores; 1024 x 768 pixels.

 


Siga-nos no Facebook
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Rua Marquês de São Vicente, 225, Gávea -
Rio de Janeiro, RJ - Brasil - 22451-900

Departamento de Letras
Ed. Padre Leonel Franca - 3o. andar
(21) 3527.1770

PUC-RIO © 1992 - 2012. Todos os direitos reservados.